Arquivo

Archive for janeiro \26\UTC 2009

This is Sparta!

janeiro 26, 2009 Deixe um comentário

Hoy,

Este POST é apenas para me apresentar, sou o novo Espartano dessa bagaça, vim para somar ao grupo e postar muita bobagem e coisas relacionadas ao Universo Masculino.

Abraço de por trás.

Anúncios
Categorias:Uncategorized

O sotaque das mineiras

janeiro 25, 2009 6 comentários

mineirinha_thumb1

“O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar.
Porque, se tudo que é bom tem um desses horríveis efeitos colaterais,
como é que o falar, sensual e lindo ficou de fora?
Porque, Deus, que sotaque!

Mineira devia nascer com tarja preta avisando:
ouvi-la faz mal à saúde.
Se uma mineira, falando mansinho, me pedir para assinar um contrato
doando tudo que tenho, sou capaz de perguntar: só isso?
Assino achando que ela me faz um favor.

Eu sou suspeitíssimo. Confesso: esse sotaque me desarma.
Certa vez quase propus casamento a uma menina que
me ligou por engano, só pelo sotaque.
Os mineiros têm um ódio mortal das palavras completas.
Preferem, sabe-se lá por que, abandoná-las no meio do caminho
(não dizem: pode parar, dizem: “pó parar”).

Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas,
supõem, precipitada e levianamente, que os mineiros vivem –
lingüisticamente falando – apenas de uais, trens e sôs.
Digo-lhes que não. Mineiro não fala que o sujeito é
competente em tal ou qual atividade.
Fala que ele é bom de serviço.

Pouco importa que seja um juiz de direito,
um jogador de futebol ou um ator de filme pornô.
Se der no couro – metaforicamente falando, claro – ele é bom de serviço.

Faz sentido…

Mineiras não usam o famosíssimo tudo bem.
Sempre que duas mineiras se encontram, uma delas
há de perguntar pra outra:
“cê tá boa?”
Para mim, isso é pleonasmo.
Perguntar para uma mineira se ela tá boa é desnecessário.

Ceis ta Boua?Ceis ta Boua?

Vamos supor que você esteja tendo um caso com uma mulher casada.
Um amigo seu, se for mineiro, vai chegar e dizer:
Mexe com isso não, sô (leia-se: sai dessa, é fria, etc).
O verbo “mexer”, para os mineiros, tem os mais amplos significados.
Quer dizer, por exemplo, trabalhar.
Se lhe perguntarem com que você mexe, não fique ofendido.
Querem saber o seu ofício.

Os mineiros também não gostam do verbo conseguir.
Aqui ninguém consegue nada. Você não dá conta.
Sôcê (se você) acha que não vai chegar a tempo, você liga e diz:
Aqui, não vou dar conta de chegar na hora, não,sô.

mineirnum vô da conta não sô

Esse “aqui” é outro que só tem aqui.
É antecedente obrigatório, sob pena de punição pública, de qualquer frase.
É mais usada, no entanto, quando você quer falar e não estão lhe
dando muita atenção: é uma forma de dizer, “olá, me escutem, por favor”.
É a última instância antes de jogar um pão de queijo na cabeça do interlocutor.

Mineiras não dizem “apaixonado por”.
Dizem, sabe-se lá por que, “pêxonado com”.
Soa engraçado aos ouvidos forasteiros.
Ouve-se a toda hora: “Ah, eu pêxonei com ele…”.
Ou: “sou doida com ele” (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro).
Elas vivem apaixonadas “com” alguma coisa.

Que os mineiros não acabam as palavras, todo mundo sabe.
É um tal de “bonitim”, “fechadim”, e por aí vai.
Já me acostumei a ouvir: “E aí, vão?”. Traduzo: “E aí, vamos?”.

festa-junina-012Vão ali atrais da Igreja?

Não caia na besteira de esperar um “vamos” completo de uma mineira.
Não ouvirá nunca.
Eu preciso avisar à língua portuguesa que gosto muito dela,
mas prefiro, com todo respeito, a mineira. Nada pessoal.
Aqui certas regras não entram. São barradas pelas montanhas.

No supermercado, não faz muitas compras, ele compra
“um tanto de côsa”.
O supermercado não estará lotado, ele terá
“um tanto de gente”.
Se a fila do caixa não anda, é porque está
“agarrando” [aliás, “garrando”] lá na frente. Entendeu? Agarrar é agarrar, ora!

Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena,
suspirará: Ai, gente, que dó.
É provável que a essa altura o leitor já
esteja apaixonado pelas mineiras.

Não vem caçar confusão pro meu lado.
Porque, devo dizer, mineiro não arruma briga, mineiro “caça confusão”.
Se você quiser dizer que tal sujeito é arruaceiro,
é melhor falar, para se fazer entendido, que ele “vive caçando confusão”.

Para uma mineira falar do meu desempenho sexual,
ou dizer que algo é muitíssimo bom vai dizer: “Ô, é sem noção”.
Entendeu, leitora? É sem noção! Você não tem, leitora, idéia do “tanto de bom” que é.
Só não esqueça, por favor, o “Ô” no começo,
porque sem ele não dá para dar noção do tanto que algo é sem noção, entendeu?

236_248-piero-ragazzi-festa-juninaVô, a festava boa?   Ô ce tava.

Capaz… Se você propõe algo e ela diz: capaz!!!
Vocês já ouviram esse “capaz”? É lindo.
Quer dizer o quê? Sei lá, quer dizer
“ce acha que eu faço isso”? com algumas toneladas de ironia…
Se você ameaçar casar com a Gisele Bundchen,
ela dirá: “Ô dó dôcê”.
Entendeu? Não? Deixa para lá.

É parecido com o “nem…”. Já ouviu o “nem…”?
Completo ele fica:- Ah, nem…
O que significa? Significa, amigo leitor, que a mineira que o pronunciou
não fará o que você propôs de jeito nenhum.
Mas de jeito nenhum.

Você diz: “Meu amor, cê anima de comer
um tropeiro no Mineirão?”.
Resposta: “Nem…” Ainda não entendeu? Uai, nem é nem.

Leitor, você é meio burrinho ou é impressão?
A propósito, um mineiro não pergunta: “você não vai?”.
A pergunta, mineiramente falando, seria: “cê não anima de ir”?
Tão simples. O resto do Brasil complica tudo.

É, ué, cês dão umas volta pra falar os trem…
Falando em “ei…”.
As mineiras falam assim, usando, curiosamente,
o “ei” no lugar do “oi”.
Você liga, e elas atendem lindamente: “eiiii!!!”,
com muitos pontos de exclamação, a depender da saudade…
Tem tantos outros…

O plural, então, é um problema. Um lindo problema, mas um problema.
Sou, não nego, suspeito.
Minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares das mineiras.

Aliás, deslizes nada.
Só porque aqui a língua é outra,
não quer dizer que a oficial esteja com a razão.
Se você, em conversa, falar: Ah, fui lá comprar umas coisas..
Ques côsa? – ela retrucará.
O plural dá um pulo. Sai das coisas e vai para o que.

Ouvi de uma menina culta um “pelas metade”,
no lugar de “pela metade”.
E se você acusar injustamente uma mineira, ela, chorosa, confidenciará:
Ele pôs a culpa “ni mim”.

A conjugação dos verbos tem lá seus mistérios em Minas…
Ontem, uma senhora docemente me consolou:
“prôcupa não, bobo!”.
E meus ouvidos, já acostumados às ingênuas conjugações mineiras,
nem se espantam. Talvez se espantassem se ouvissem um:
“não se preocupe”, ou algo assim.

A fórmula mineira é sintética. E diz tudo.
Até o “tchau” em Minas é personalizado.
Ninguém diz tchau pura e simplesmente.
Aqui se diz: “tchau procê”, “tchau procês”.
É útil deixar claro o destinatário do tchau.
Então… ”

Carlos Drummond de Andrade

Esse texto dedico Mariana (felicidades em bh amor), a Papaula (do Brim Brim) e a Nuna (Bruna to te esperando aqui, bjuss)

Categorias:Uncategorized Tags:

Seriados – Dexter

janeiro 23, 2009 2 comentários

Para alguns batráquios que devem estar ai lendo meu blog uma hora dessas, eu vou dar uma bela dica, e espero que você aproveite seu Tanga, por que dica como esta eu não dou todo dia.

A algum tempo um amigo chamado Astrogildo, mas tambem conhecido com Léo começou a me importunar para assistir uma série chamada Dexter. Disse que era de um Serial Killer que matava Seriais Killers. Nesse momento eu não me interessei muito, com o tempo ele me enchendo o saco tivemos a seguinte conversa:

xerxesMimimi mimimi mimimi assite.

Leo: Mimimi mimimi mimimi você tem que ver Dexter. Mimimimi mimimi mimimi é muito legal.

Mimimi mimimi mimimi mimimi tem muito sangue.

Eu: Sério? Isso pode me interessar.

Leo: Mimimi mimimi mimimi assiste que você vai gostar, mimimi mimimi mimimi.

Alguns dias depois comecei a assistir a porra da série. Fenomenal.

Pra começar temos o dono da bagaça, o cara que aparece, o que leva a coisa toda.

DEXTER. Nunca tinha visto alguem tão sem sentimentos como esse cara. Ele é mais sem expressão que o Silverster Stalone.

sylvester-stallone-298x470-40194kb-media-508-media-0016Stallone depois de ganhar na Mega Sena

O cara é frio, totalmente sem sentimentos, um gênio e ainda por cima mestre em estratégias cabulosas.

dexterOlha o safado de costas na foto do jornal.

Interpretado por Michael C. Hall (“Six Feet Under”), Dexter é um personagem complexo cujo código moral e ações talvez sejam chocantes para alguns  — e totalmente injustificáveis para outros. Durante o dia, ele é um especialista em sangue que trabalha ao lado da equipe da divisão de homicídios do departamento de polícia de Miami e vai além do seu trabalho para solucionar os assassinatos. Seu trabalho na verdade serve para ocultar sua verdadeira ocupação, a de serial killer, que consiste em matar aqueles que conseguiram escapar da polícia.

dexter3-1

Logo se descobre as origens do seu comportamento: após ficar órfão aos 4 anos e guardar um traumático segredo, Dexter é adotado por Harry Morgan (James Remar, pai durão), um policial que reconhece as tendências homicidas dele e guia seu filho para mudar sua terrível paixão em dissecar humanos para algo mais construtivo.

DEXTER (Season 2)

Irmã Gostosa

DEXTER (Season 3)

Namorada Gostosa

Como todos os serial killers, o lado obscuro de Dexter é escondido das pessoas com quem ele passa mais tempo, principalmente daqueles que ele ama. Sua irmã Debra (Jennifer Carpenter, irmã Gostosa), que não desconfia de nada, é uma policial determinada, que sempre pede conselhos pessoais e profissionais para ele — desde sobre novos namorados até sobre uma série de mortes de prostitutas. A paixão por sua adorável namorada Rita (Julie Benz, namorada Gostosa), uma mãe solteira, faz com que ele enfrente a normalidade da vida diária.

6a00d83451b15969e200e54f3186ee8834-800wiAssim passa o seu tempo. Escondendo quem é de quem ama e se mostrando a quem ele acha que merece. Um Modafucker que merece respeito.

Ta esperando o que? Vai procurar a serie pra assistir porra.

Bando de Tangas viu.

Categorias:Diversão Garantida

Elas Perguntam, Eles respondem

janeiro 10, 2009 3 comentários

Bom segue abaixo um questinário feito por algumas mulheres. Espero que assim consigam entender nos um pouco melhor.

M: Por que vocês mijam fora do vaso?
H: Se você olhasse bem, veria que o orifício peniano não é redondo, o jato nem sempre vai para onde o pau está apontado. Além disso, às vezes, esse buraquinho fica meio grudado, gerando uma dispersão de jatos.

M: Por que vocês sempre deixam um pentelho na borda do vaso?
H: Para marcar território.

M: Por que vocês nunca esfregam o clitóris da gente no lugar certo?
H: Só de sacanagem!

M: Por que vocês não sabem onde fica o ponto G?
H: Ponto o quê?

M: Por que vocês adoram transar por trás?
H: Para poder continuar assistindo TV.

M: Por que vocês pegam vídeo de sacanagem sem história?
H: Pela sacanagem, ora! É como ver os gols do fantástico sem precisar assistir ao jogo todo.

M: Por que a fantasia dos homens é transar com a nossa melhor amiga?
H: Na verdade, é com TODAS as suas amigas.

M: Porque os homens estão sempre com os músculos da bunda contraídos?
H: Para não peidar quando a barriga fica batendo nas nádegas das parceiras.

M: Por que vocês empurram a cabeça de gente pra baixo quando querem um boquete?
H: Porque se pedir vocês não fazem.

M: Por que vocês querem ir pra cama no primeiro encontro?
H: Objetividade.

M: Por que vocês ficam putos se a gente não dá no primeiro encontro?
H: Detestamos falta de objetividade.

M: Por que vocês vão embora logo depois de transar com a gente?
H: Sempre passa alguma coisa legal na tv de madrugada…

M: Por que os homens acreditam quando a gente finge que goza?
H: E só para vocês sentirem ao menos um prazer: o de nos enganar.

M: Por que vocês gostam mais de cerveja gelada que de mulher?
H: 1. Cerveja está sempre molhadinha. 2. Cerveja não reclama quando estamos assistindo ao jogo. 3. Cerveja não pede para a gente ver filmes tipo “Love Story”. 4. Cerveja não tem mãe. 5. Quando acabamos de beber a cerveja, podemos jogar ela fora. 6. Cerveja não liga se a gente olha para outra cerveja. Entendeu?

M: Por que vocês gostam de ouvir que o pau de vocês é o máximo?
H: E não é? Ainda mais para você, que não tem.

M: Por que vocês contam pros amigos que nos comeram?
H: Metade do prazer está em contar.

M: Por que os homens não reparam que estamos de lingerie nova?
H: Vocês vivem reclamando que a gente só liga para a beleza externa!

M: Por que os homens ficam cheios de dedos quando a gente pede um tapa na hora da transa?
H: O que a gente gosta mesmo é bater porquê quer, e não por que vocês pedem.

M: Por que os homens gostam de olhar para outras mulheres na rua?
H: Você acha que só você é gostosa???

M: Por que os homens avisam quando vão gozar?
H: Se você não tomou anticoncepcional o problema será todo seu.

M: Por que os homens gostam de chamar a gente de “minha putinha”?
H: Pra me lembrar que não terei que pagar.

M: Por que os homens têm ciúmes dos nossos amigos homens?
H: Porque eles só pensam em comer vocês. Todos nós somos assim.

M: Por que os homens adoram coçar o saco?
H: É que nem arrotar e cuspir no chão. Vai dizer que você nunca teve vontade?

M: Por que os homens detestam beijar a gente quando estamos de batom?
H: Porque ficamos parecendo o Bozo.

M: Por que vocês acordam de pau duro?
H: Porque, em geral, sonhamos com outras mulheres.

M: Por que os homens estão sempre ajeitando os pintos nas calças?
H: Porque cada um tem a posição preferida, e no decorrer do dia ele vai se deslocando, exigindo um imediato reposicionamento.

M: E por que, meu Deus, vocês sempre desarrumam os malditos tapetinhos do banheiro?
H: Tapetinho arrumado é coisa de viado!

Categorias:Uncategorized

Como agradar a todos…

O  jeito ideial de agradar sua esposa e seus amigos e é claro a si mesmo…

DEMAIS

Categorias:Uncategorized